Contato

Secagem de quarto mamário: como e quando?

Eduardo Pinheiro e Brunna Granja

Time OnFarm

A secagem do quarto mamário afetado é uma maneira de manter a vaca no rebanho e eliminar a fonte de infecção do patógeno presente em uma mastite crônica. Essa é uma recomendação para casos de vacas com apenas 1 quarto mamário afetado, sem nenhum outro tipo de problema de saúde e que apresentam média ou alta produção de leite.

A mastite crônica ocorre em situações as quais as vacas não respondem ao tratamento com antibióticos, mesmo após seguidas tentativas até mesmo com diferentes bases, é a maior causa de secagem de quartos de forma permanente.  Os principais agentes presentes nesse tipo de infecção são o Staphylococcus aureus, Prototheca spp., principalmente.

Para fazer a secagem permanente (para a vida toda do animal) ou temporária (apenas durante a lactação atual da vaca) de um quarto durante a lactação, a substância utilizada deve atuar no tecido secretor de leite e no agente causador.

Para secagem permanente:

  • Duas aplicações intramamárias de 100 ml de solução de iodo, nesse caso, um estudo utilizou solução de iodo 0,5% (Middleton e Fox, 2001), no entanto atualmente a campo vem sendo utilizada uma solução de iodo 2%, porém sem comprovação científica. O intervalo entre as aplicações deve ser de 24 horas.

Para secagem temporária:

  • Duas aplicações intramamárias de 30 ml de clorexidina 2% (Middleton e Fox, 2001), com intervalo de 24 horas entre aplicações.
  • Uma aplicação intramamária de selante interno de teto e interrupção imediata da ordenha desse quarto mamário. Para utilização desse protocolo, o quarto mamário não pode estar apresentando mastite clínica, ou seja, com inchaço, grumos ou qualquer outra alteração no leite.

No caso de secagens temporárias, é importante enfatizar que o quarto mamário inutilizado através de ambos protocolos, tem 70% de chance de voltar a produzir normalmente na lactação subsequente.

Para qualquer um dos métodos de secagem utilizados, sendo eles permanentes ou temporários, indica-se a aplicação de anti-inflamatório não esteroidal (1ª opção meloxicam, 2ª opção flunixin meglumine) por 3 dias, iniciando no primeiro dia do protocolo de secagem.

 

No entanto, não há muitos estudos com comprovação científica que apresentam mais de uma opção de métodos eficazes e seguros para a vaca, sendo assim a maioria dos protocolos utilizados são de experiências a campo, sem embasamento científico. Antes de realizar qualquer um dos protocolos é muito importante avaliar junto com o Médico Veterinário ou responsável técnico da fazenda, para que seja feita a tomada de decisão frente ao caso de mastite.

 

Fonte:

MIDDLETO, J.R.; FOX, L.K. Technical Note: Therapeutic cessation of lactation of Staphylococcus aureus-infected  mammary quarters. Journal of dairy Science, v. 84, p. 1976-1978, 2001.

SANTOS, M. V. Como secar quartos mamários com mastite crônica. Dez-Jan/2015. Mundo do Leite. São Paulo-SP, p.18 – 20, 2015.

 

Procure por conteúdos específicos:

Quer receber mais conteúdos para evoluir sua gestão de corte? Cadastre-se abaixo.

Ao se cadastrar declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Bovitech

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors