Contato

Comparação de eficiência de dois selantes internos de teto

Brunna Granja

Time OnFarm

O uso de selantes no período seco reforça a barreira física natural presente no tampão de queratina formado na extremidade dos tetos das vacas no pré-parto. Esses produtos impedem a entrada de patógenos no canal do teto, evitando novas infecções intramamárias nesse período.

Em um estudo realizado por Rowe e colaboradores nos EUA, o objetivo foi avaliar um selante (Lockout – Boehringer), comparando-o a outro (Orbeseal- Zoetis), em relação à: risco de uma nova infecção intramamária no período seco, risco de cura e risco de nova infecção nos primeiros 13 e 100 dias de lactação, risco de descarte dos animais, contagem de células somáticas e produção de leite.

O estudo foi realizado em 5 rebanhos, onde as vacas selecionadas tinham pelo menos três quartos mamários funcionais, uma duração de período seco de 30 a 90 dias, nenhum tratamento antibiótico nos últimos 14 dias, ausência de casos de MC, boas condições de sistema locomotor e condição corporal.

As vacas foram separadas de forma aleatória em dois blocos de acordo com o selante que seria utilizado, sendo 446 para o Orbeseal e 456 para o Lockout. Em todos os quartos mamários antes da utilização do selante, foram aplicados antibiótico intramamário a base de cloxacilina.

Com base nos resultados apresentados no estudo, em relação às variáveis testadas, podermos observar que:

  • Infecções intramamárias no dia da secagem: a prevalência foi de 21% para Orbeseal e 23% para o Lockout.
  • Infecções intramamárias para o período de 1 a 13 dias em lactação: a prevalência foi de 13% para Orbeseal e 12% para Lockout.

Em ambos os tratamentos, os principais patógenos presentes nessas infecções intramamárias foram o grupo de Staphylococcus não-aureus.

  • Riscos de uma nova infecção durante o período seco, foi de 11,6% para Lockout e 10,4% para Orbeseal. Por outro lado, o risco de cura desses novos casos foi 94% para Lockout e 91,6% para Orbeseal; para o risco de descarte dos animais, foi de 10,3% para Lockout e 10,8% para o Orbeseal.
  • Os efeitos do uso de selante em relação à casos de mastite clínica e descarte em até 100 dias de lactação, foram 18,9% para Lockout e 19% para Orbeseal;
  • Não foram observados efeitos do uso de ambos selantes na produção de leite nos primeiros 100 dias de lactação, onde os animais apresentaram 43 kg de leite em média; já em relação a CCS, o uso de Orbeseal apresentou uma média de CCS de 67 e para o Lockout 71.

De forma geral ambos selantes mostraram resultados positivos e próximos, não havendo diferença estatística entre ambos. Senso assim, é muito válida a utilização desses produtos no momento de secagem dos animais, visto que eles são uma camada de proteção que auxilia o animal na prevenção de novos casos de infecções intramamárias e consequentemente uma próxima lactação mais saudável e produtiva.

Rowe, S.M.; Godden, S.M.; Nydam, D.V.; A. Lago; Vasquez, A.K.; Royster, E.; Timmerman, J. Randomized equivalence study comparing the efficacy of 2 commercial internal teat sealants in dairy cows. Journal of Dairy Science, v.103, 2020.

 

 

Procure por conteúdos específicos:

Quer receber mais conteúdos para evoluir sua gestão de corte? Cadastre-se abaixo.

Ao se cadastrar declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Bovitech

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors