Contato

Leitíssimo: uma joia no oeste baiano

Envasado na fazenda e produzido de forma sustentável por vacas saudáveis vivendo e se alimentando de pasto no oeste da Bahia, região de Cerrado, no município de Jaborandi. Esse é o mote da Leitíssimo, marca que engloba três fazendas e é resultado de mais de 20 anos de trabalho a fim de resgatar a forma natural de criar e alimentar o gado. Juntas, elas representam a maior produção de leite no Brasil com gado em sistema pastoril.

A história da Leitíssimo começa no ano de 2000, quando David e Simon Wallace, pai e filho, produtores de leite na Nova Zelândia, vieram ao Brasil em busca de genética adaptada ao clima tropical para efetuar cruzamentos com touros neozelandeses. Eles viajaram por todo o Brasil e concluíram que havia condições ideais para produzir leite da forma que imaginaram. Decidiram então montar uma fazenda, rodaram 150 mil quilômetros afora e após dois anos, a escolha foi por terras no município de Jaborandi. O primeiro passo foi a construção de 22 quilômetros de estrada e também de 26 quilômetros de linhas de transmissão de energia para “conectar a fazenda ao mundo”.

Produção de leite atual 

Atualmente são produzidos 33 mil litros de leite por dia com 2400 vacas em lactação sendo que mais de 1000 animais destes estão com um DEL (dias em lactação) inferior a 40 dias. Vale destacar que a empresa se consolidou na 33ª posição na pesquisa Top 100 2023 realizada pelo MilkPoint.

A Leitíssimo trabalha com a genética “kiwi-cross” utilizando sêmen de touros neozelandeses em vacas Girolando, Jersey e Holandesas.

Segundo Juliano Alves de Almeida, Gerente de Produção da Leitíssimo, as fazendas são conhecidas por produzirem leite a pasto já que essa é a forma mais tradicional e com o melhor custo-benefício na Nova Zelândia. “A ideia foi replicar o mesmo conceito aqui no Brasil, porém, de maneira mais intensiva. Por isso, trabalhamos com mais de 336 ha destinados a essas 2400 vacas hoje, porém, ainda temos mais de 500 partos para ocorrer nos próximos 45 dias e com isso, saltaremos para 2900 vacas em lactação e média de 40 a 42 mil litros/dia. Escolhemos a pastagem de Tifton 85 irrigada e rotacionada e – em média – trabalhamos com uma lotação ao ano de 9 a 10 UA/ha”, comentou ele.

Projeto de preservação do Cerrado

É interessante frisar que a empresa faz a recuperação dos solos e mantém mais de 50% das suas terras como reserva ecológica, preservando o balanceamento do ecossistema. Paralelamente à estrutura produtiva, a equipe Leitíssimo implementa um projeto de preservação do Cerrado, apoiando-se no conhecimento de vários biólogos e também de moradores locais. Corredores ecológicos foram planejados para conectar as reservas da fazenda Leitíssimo com as reservas de propriedades vizinhas. Foram também ampliadas as Áreas de Proteção Permanente (APP), obtendo-se uma área contínua de cerrado virgem ao longo do rio Formoso até o Parque Nacional Grande Sertão Veredas.

Manejo sanitário, bem-estar animal (BEA) e gestão da propriedade

Juliano reforçou que, no que diz respeito ao BEA, a Leitíssimo trabalha com refrigeração na sala de espera e é oferecida água limpa e abundante aos animais por meio de um bebedouro instalado por cada hectare. “Utilizamos protocolos sanitários rigorosos e todos os dejetos produzidos na sala de espera são aplicados de volta nas pastagens melhorando, assim, o aproveitamento dos nutrientes. O rebanho é livre de tuberculose e brucelose e não usamos substâncias carrapaticidas”, completou.

ordenha é realizada duas vezes ao dia e os horários são entre 6h00 às 8h30 e 14h00 às 16h30. Antes de serem ordenhadas, as vacas passam por uma ducha de aspersão de água na sala de espera durante 40 minutos. Esse processo as refresca, lhes proporcionando maior conforto. Em seguida, as vacas são ordenhadas. A ordenha em si dura oito minutos para cada vaca, as salas são cobertas e abertas para a paisagem e ficam no centro de cada pasto para otimizar o deslocamento até elas e o retorno dos animais aos piquetes.

Após a ordenha, todos os animais recebem na saída um pouco de ração formulada de acordo com suas necessidades fisiológicas. O objetivo é suplementar e equilibrar a nutrição que vem do pasto, otimizando a saúde e o conforto de cada animal.

Recentemente, o gerenciamento da Fazenda Leite Verde Agropecuária LTDA, uma das três que compõem a Leitíssimo e que iniciou a produção leiteira em 2004, passou a utilizar o Ideagri para realizar a gestão da propriedade. Juliano comentou que sempre utilizaram planilhas de excel para o controle dos dados, porém, sentiram que era a hora de utilizarem um software para o gerenciamento das informações geradas pelos animais.

Recentemente, o Ideagri passou por uma atualização e o sistema está mais rápido, mais prático, mais moderno e permitindo mais integrações. Atualmente, atende mais de 6 mil fazendas e possui mais de 4,7 milhões de animais cadastrados em sua base de dados.

Indústria de processamento e produtos 

A indústria da Leitíssimo fica dentro da fazenda e os produtos fabricados atualmente são leite UHT integral, leite UHT zero lactose, leite UHT semidesnatado zero lactose, leite UHT desnatado e creme de leite. O leite é estabilizado por meio do processo UHT de forma suave, garantindo que nutrientes, notas de sabor ricas e densas sejam preservadas.

O leite Leitíssimo está presente em praticamente todos os estados brasileiros, mas o principal foco é Bahia, Distrito Federal, São Paulo e Goiás.

Em Jundiaí, SP, a Leitíssimo também possui uma planta chamada Delicari que produz sorvetes diferenciados que são distribuídos na região metropolitana de São Paulo e Salvador, BA.

Para manter a qualidade do leite sempre com excelência, a Leitíssimo possui um laboratório extremamente rigoroso a fim de que a matéria-prima sempre se encaixe nos padrões exigidos.

Mão de obra: a importância dos colaboradores para o negócio 

Juliano ressaltou que um dos maiores focos da Leitíssimo sempre foi e sempre será na equipe, afinal, são eles que realizam todas as atividades e – se não estiverem bem treinados e motivados – a empresa não atingirá seus objetivos. “Fornecemos a eles salários justos, treinamentos, moradias, alimentação de excelente qualidade, entretenimento e – acima de tudo – respeito”, disse. Qualidade humana e profissionalismo formam uma comunidade harmoniosa e comprometida em torno do padrão de qualidade Leitíssimo.

Inclusive, logo em 2004, foi inaugurada a Escola Leitíssimo, bilíngue para crianças e adultos. A escola se tornou um pilar da qualidade de vida na fazenda tanto pelo nível dos professores, quanto pela infraestrutura, proporcionando ainda melhores condições para a comunidade se desenvolver e se fixar.

Sobre os principais desafios encontrados hoje, ele comentou citou a oscilação no preço das commodities nos últimos três anos, fato que dificulta uma boa execução do orçamento proposto e o incentivo ao crescimento da demanda interna por produtos lácteos. “Mesmo assim, temos a expectativa de aumentar nos próximos cinco anos a produção de leite da Fazenda Leite Verde Agropecuária LTDA pelo menos em 50%”, finalizou.

Autora do artigo:

Raquel Maria Cury Rodrigues, zootecnista pela Unesp de Botucatu, especialista em Gestão da Produção pela Ufscar e redatora da Rúmina.

Procure por conteúdos específicos:

Quer receber mais conteúdos para evoluir sua gestão de corte? Cadastre-se abaixo.

Ao se cadastrar declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Bovitech

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors