Contato

Por que identificar os agentes Gram-negativos causadores de mastite clínica (MC)?

Por que identificar os agentes Gram-negativos causadores de mastite clínica (MC)?

Brunna Granja
Med Vet – Central Atendimento OnFarm

Casos de MC são o motivo mais recorrente pelos quais as vacas leiteiras recebem tratamento com antimicrobianos. A não identificação dos agentes causadores da MC leva a um tratamento não seletivo, tratando inclusive casos de possíveis culturas negativas ou de bactérias Gram-negativas com alta chance de cura espontânea do animal.

As principais bactérias Gram-negativas que estão presentes nos casos de MC são Escherichia coli e Klebsiella spp., e por que é importante diferenciá-las?

  • Escherichia coli: casos de curta duração, normalmente a vaca apresenta uma resposta imune rápida e eficaz, com alta taxa de cura espontânea, não sendo necessário na maioria dos casos o uso de antimicrobianos.

Foto 1. Colônias de E coli isoladas na SmartColor2

 

  • Klebsiella: casos com fase subclínica mais longa, e tratamentos de casos clínicos menos bem-sucedidos; podem-se tornar casos crônicos.

Foto 2. Colônias de Klebisiella spp  isoladas na SmartColor2

 

Um estudo realizado nos EUA, a partir de dois rebanhos leiteiros (n = 168 casos de MC), teve como objetivo avaliar resultados de dois tipos de tratamento de MC, com 2 e 8 dias de terapia com cloridrato de ceftiofur, causadas por Escherichia coli (n = 56) e por Klebsiella pneumoniae (n = 56), em comparação com grupo controle sem tratamento (n = 56, sem aplicação de antibiótico).

Os resultados mostraram altas taxas de cura bacteriológica (CB) para Escherichia coli independente do tratamento (sem antibiótico, 2 e 8 dias de terapia), variando de 93 a 100%.

Já para Klebsiella spp. as taxas de CB apresentaram melhora entre os tratamentos sendo de 9% para o controle negativo (sem antibiótico), 43% para o tratamento de 2 dias e 64% para o tratamento de 8 dias.

Este estudo é um exemplo da importância de conhecemos o agente causador da MC. A partir dessa informação, saberemos qual a melhor estratégia de tratamento adotar, como por exemplo, fazer o uso ou não de antibióticos, e qual a duração do tratamento.

Muitos nos perguntam: “qual é o melhor medicamento?”.

Sem a cultura na fazenda o tratamento é feito no escuro. Se tiver predominância de E coli, qualquer protocolo que utilizar “será um sucesso”, pois os animais apresentam uma alta taxa de cura espontânea (independentemente de ter usado antibiótico ou não).

Portanto, a nossa resposta é sempre a seguinte: com a cultura na fazenda voce mesmo encontrará a resposta para a sua fazenda e para os seus animais.

 

Confira aqui, sugestão de protocolo de tratamento de mastite clínica (via e duração).

 

Fonte:

Fuenzalida, M.J.; Ruegg, P.L. Negatively controlled, randomized clinical trial to evaluate intramammary

treatment of nonsevere, gram-negative clinical mastitis. Journal of Dairy Science, v. 102, p. 5438-5457, 2019.

 

Procure por conteúdos específicos:

Quer receber mais conteúdos para evoluir sua gestão de corte? Cadastre-se abaixo.

Ao se cadastrar declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Bovitech

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors