Contato

Suplementação de bezerros em creep-feeding é viável?

Com funcionamento em tempo real, os sistemas Ideagri e SenseHub fornecem aos produtores todas as informações de produção, sanidade e comportamento dos animais para se ter mais produtividade e sustentabilidade

Sistemas intensivos ou em intensificação a pasto buscam tecnologias e práticas de manejo com o intuito de redução do ciclo produtivo. Dentre essas práticas, estratégias nutricionais em fases específicas buscam melhorar o desempenho por aumento no peso, mudanças na composição corporal e preparo dos animais para fases posteriores. 

 

Uma prática conhecida e utilizada nesta época do ano para sistemas de cria é a suplementação dos bezerros lactentes em creep-feeding. A produção de leite das vacas em lactação reduz após dois meses do parto e, sabe-se que após três meses de idade, os bezerros não conseguem adquirir todos os nutrientes necessários para atender suas exigências apenas pelo leite materno e pasto. Assim, usar nutrientes extras é viável considerando animais manejados para ciclos produtivos curtos.

Neste sistema, a dieta é composta por leite, pasto e o suplemento proteico- energético, e esse conjunto possibilita aumento do peso à desmama através de:

  • aumento no ganho de peso médio diário;
  • modificação na curva de crescimento;
  • preparação de animais para sistemas de produção superprecoces a pasto ou em confinamento, antecipando a idade ao abate. 

O creep-feeding também tem a vantagem de aumentar o peso ao desmame com possibilidade de reduzir a fase de recria de fêmeas que vão entrar para reposição. O foco é a puberdade precoce e entrada na primeira estação de monta atingindo a meta de peso vivo médio de 300 quilos aos 13-14 meses de idade.

Considerando a fase de cria, a conversão alimentar é considerada ótima, ou seja, o animal jovem aproveita os nutrientes para deposição de tecidos de forma rápida e mais econômica. 

Em média o creep-feeding permite ganhos adicionais de até uma arroba para machos e 20 a 25 quilos para fêmeas, o que compreende acima de 7 arrobas no desmame, cerca de 35-40% do peso meta para abate (se este for o destino dos animais) e aproximadamente 70% do peso meta para entrada em reprodução. 

Esse resultado é interessante, mas vale ressaltar que varia entre anos considerando a qualidade das forrageiras disponíveis, a produção de leite das mães e o preço do suplemento em relação ao ganho adicional no desmame.

Alguns pontos precisam ser aqui considerados antes de adotar a suplementação da cria em creep-feeding. 

  • Primeiro é que o investimento pode se perder caso os animais não recebam nutrientes necessários para ganhos contínuos na recria e terminação, ou seja só é viável em sistemas que focam no ganho contínuo. 

  • Segundo, é que muito se acredita que a suplementação da cria resulta em efeitos no desempenho materno pela inserção de mais um alimento. Assim, diminuiria a exigência materna quanto à lactação, o que não acontece de forma direta. 

  • Terceiro ponto é que a resposta ao uso do creep-feeding também é dependente da genética e capacidade de conversão de nutrientes em tecido, podendo assim visualizar a expressão do potencial genético em animais melhorados. Isso vai resultar em animais de ótima qualidade para a venda caso seja este o propósito

O creep-feeding deve ser utilizado em estrutura destinada para os bezerros se alimentarem de forma exclusiva sem acesso das mães. Além disso, o suplemento utilizado deve ser formulado considerando alimentos de qualidade, que sejam palatáveis e atrativos, e que tenham valores de proteína bruta que variem de 20-25% da matéria-seca. Esse suplemento resultaria em ganho adicional de 200 a 300 gramas em relação ao animal não suplementado dependendo da qualidade da forragem, o que gera ganho adicional no desmame.

O consumo de suplemento deve ser acompanhado desde a fase de adaptação até que se estabilize de acordo com a meta estipulada em relação ao peso vivo dos animais. Vale ressaltar aqui que seu uso também é viável em sistemas que utilizam a desmama precoce.

Por fim como qualquer programa de suplementação a pasto o controle do fornecimento deve ser feito de forma constante para obtenção de bons resultados, principalmente quando temos animais com potencial para ganho nesta fase de crescimento eficiente e acelerado. 

Considerando os pontos acima, o uso do creep-feeding é sim viável pois pode otimizar as operações das propriedades de cria, mantendo preços elevados e constantes para venda de bezerros (as), colocando no mercado de reposição para recria e terminação animais de extrema qualidade.

Autora do artigo: Professora Cláudia Sampaio, Departamento de Zootecnia, Universidade Federal de Viçosa. 

Procure por conteúdos específicos:

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors