Contato

Diferenciar Strep agalactiae de dysgalatiae é possível?

Cristian Martins

Diretor de Pesquisa e Inovação – OnFarm

 

Consigo diferenciar o agalactiae do dysgalactiae em placas de meios cromogênicos?” é uma das perguntas mais frequentes que recebemos de técnicos e produtores.

Preparamos esse artigo exatamente para responder a essa pergunta. Vamos lá?

Os meios cromogênicos possuem substrato específicos que permitem o crescimento de patógenos com diferentes colorações, permitindo dessa forma a identificação presuntiva em 24h. A coloração exibida pelas colônias, depende por sua vez, da composição do substrato, de substâncias cromóforas (como um corante) e do microorganismo.

A tecnologia já está no mercado desde 1990, e passou a ser utilizada no diagnóstico de mastite, principalmente nos últimos 6 anos. Estudos científicos (Ganda et al. 2016; Granja et al., 2019) demonstraram alta acurácia de meios de cultura cromogênicos e seletivos para identificação de: S. aureus, SNA, Strep. uberis, Strep. agalactiae/dysgalactiae, Enterococcus, Lactococcus, E-coli, Pseudomonas, Klebsiella/Enterobater, Prototeca e levedura. Portanto, a utilização de meios cromogênicos permite identificar as principais causas da mastite na própria fazenda em 24h, de forma segura e de fácil interpretação.

No entanto, algumas bactérias como S. agalactiae e dysgalactiae crescem em tonalidades de azul muito próximas e não existe estudo científico que demonstrou ser possível diferenciar esses dois agentes em meios cromogênicos. Pequenas variações da tonalidade azul podem ocorrer não apenas devido a espécie bacteriana (S.  agalactiae ou S. dysgalactiae), mas também por fatores como:

  • Diversidade de cepas: pequenas diferenças na tonalidade da cor azul claro (tom mais esverdeada ou azul turquesa) podem variar de acordo com o tipo de cepa prevalente no rebanho. Desta forma, pode haver pequenas diferenças de tonalidades da coloração azul claro para a mesma espécie bacteriana, e variar de uma fazenda para outra;
  • Tempo de incubação: pode resultar em pequenas variações de tonalidade, se avaliada em diferentes tempos de incubação: 16h ou 24h;
  • Fundo e luminosidade do local onde a placa é avaliada: Fundo escuro ou branco, bem como luminosidade do local, podem resultar em pequenas alterações visuais das colônias, e diferenciações de cores muito próximas pode ficar dificultada.

Portanto, a tentativa de diferenciação de bactérias como S. agalactiae de S. dysgalactiae baseado em pequenas tonalidades de cores de meios de cultura cromogênicos não é um método confiável e com base científica.

Mas e ai? Como diferenciar os dois agentes? Sabendo da importância da diferenciação, estamos disponibilizando um novo teste complementar: o SmartStrep. Em apenas 2h é possível realizar a diferenciação entre os dois agentes, a partir da colônia presente na SmartColor.

Com mais essa inovação, reforçamos o nosso compromisso em fornecer aos nossos clientes informações precisas para tomada de decisão, apoiadas pela ciência.

Clique aqui para acessar o material técnico.

Para maiores informações, entre em contato com nossa equipe em:

contato@onfarm.com.br

19 97144-1818

 

Procure por conteúdos específicos:

Quer receber mais conteúdos para evoluir sua gestão de corte? Cadastre-se abaixo.

Ao se cadastrar declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Bovitech

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors